Consulta médica

A consulta médica com um cirurgião plástico, de maneira geral, segue a mesma rotina de consulta realizada por qualquer outra especialidade médica, sendo fundamental na programação de uma cirurgia.

Neste primeiro contato, o paciente deverá expor os motivos que o levaram ao consultório médico e o cirurgião realizará uma avaliação criteriosa da queixa e elaborará um diagnóstico, assim como, uma proposta terapêutica.

Este é o momento, para se identificar ainda, a presença de doenças prévias, o uso regular de medicações, história de alergias, a realização de cirurgias anteriores, hábitos pessoais como tabagismo, etilismo, sedentarismo e uso de drogas ilícitas, além de doenças familiares.

Imagem Consulta Médica

Primeira consulta

É comum na primeira consulta se solicitar também alguns exames pré-operatórios como exames de sangue, eletrocardiograma, exames de imagem e a avaliação de outros especialistas, quando necessário.

É muito importante que, neste primeiro contato com o cirurgião, o paciente esclareça a maior parte de suas dúvidas e que tenha um claro entendimento da proposta cirúrgica.

Segunda consulta

Na segunda consulta, informações complementares são passadas ao paciente e os exames pré-operatórios são inspecionados. Orientações sobre o preparo para a cirurgia são detalhadas e uma rigorosa revisão do planejamento cirúrgico é realizada.

Nesta ocasião, o paciente recebe um “INFORMATIVO CIRÚRGICO” sobre a cirurgia programada, bem como, deve assinar os termos de “CONSENTIMENTO INFORMADO” e de “RESPONSABILIDADE”, autorizando o cirurgião a realizar os procedimentos propostos.

O informativo cirúrgico tem por finalidade complementar as orientações fornecidas durante as consultas médicas, além de proporcionar a oportunidade de familiares e cuidadores também se informarem sobre a programação cirúrgica, ajudando desta maneira, o paciente nos períodos pré e pós-operatórios.

Outras considerações

É importante deixar claro que todo procedimento cirúrgico não é isento de riscos.

São considerados procedimentos de alto risco aqueles com taxas de complicações maiores do que 5%, procedimentos de risco intermediários, aqueles com taxa de complicação entre 1 e 5% e de baixo risco aqueles com índices abaixo de 1%. Normalmente, os pacientes candidatos à cirurgia plástica encaixam-se.

Vale a pena lembrar ainda que, a medicina não é uma ciência exata e que, desta maneira, intercorrências e complicações podem ocorrer, mesmo que todas as etapas tenham sido realizadas de acordo com a boa prática médica. A despeito da competência da equipe médica, do tipo de operação, dos cuidados de pré e de pós-operatório, da resposta biológica e emocional de cada paciente, ainda existem uma diversidade de outros fatores que concorrem para o sucesso da cirurgia.

Ainda no período pré-operatório, o paciente será orientado quanto aos retornos de pós-operatório, quanto aos cuidados a serem seguidos para o não comprometimento do resultado cirúrgico, bem como, quanto aos protocolos a serem realizados no pós-operatório, para melhor reabilitação e otimização do resultado da cirurgia programada.

Após receber todos os esclarecimentos necessários, em qualquer momento, se alguma questão ainda não estiver totalmente clara, não hesite em entrar em contato com seu cirurgião para discutir o tema, estar bem informado e seguro é fundamental para o sucesso da cirurgia.

Conheça nosso especialista
Dr. Ricardo Boggio

CRM/SP 95916 | RQE 30777

  • Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Residência Médica em Cirurgia Geral pela UNESP-Botucatu
  • Residência Médica em Cirurgia Plástica pelo Serviço de Cirurgia Plástica Oswaldo Cruz – SP

Conheça nossas
áreas de atuação!

Open chat