Assistência Dermatofuncional no Pré e Pós operatório

Entendendo a importância

A célula normal está confinada pelos programas genéticos de seu metabolismo, diferenciação e especialização a uma variação muito limitada de função e estrutura, mantendo-se em um estado estável chamado de homeostase (equilíbrio). Estresses fisiológicos mais severos, alguns estímulos patológicos e as agressões provenientes de manipulações cirúrgicas podem desencadear um grande número de adaptações celulares fisiológicas e morfológicas, durante as quais, são alcançados novos estados de estabilidade.

As respostas adaptativas a estes estímulos podem induzir a perda da função celular, a atrofias e degeneração tecidual, processos de hipertrofias e hiperplasias, entre outras alterações que dificultam ou impedem o retorno ao estado de homeostase.

Pré-operatório: O período pré-operatório é uma fase importante na programação de uma cirurgia, pois nesta fase, é possível se preparar os tecidos a serem manipulados, para que estes sintam pouco o trauma cirúrgico, facilitando desta maneira, a pronta reabilitação dos mesmos.

Pós-operatório: No período que segue a cirurgia, a assistência dermato-funcional faz-se fundamental, auxiliando no retorno ao estado de homeostase e aumentando a viabilidade tecidual, além de proporcionar conforto ao paciente e colaborar na obtenção de melhores resultados cirúrgicos, com baixo índice de complicações.

Imagem Assistência Dermatofuncional

O planejamento dos protocolos de assistência dermato-funcional a serem utilizados nos períodos de pré e pós-operatório dependem do tipo de cirurgia realizada, bem como, de particularidades que variam de caso a caso.

Lipoaspiração

Cuidados no período pré-operatório

  • Otimizar a microcirculação dérmica e, consequentemente, a pressão parcial de O2 e trocas metabólicas
  • Promover hidratação, nutrição e aumento da resistência cutânea
  • Incrementar o manto hidrolipídico melhorando a hidratação superficial
  • Reduzir o edema dermo-hipodérmico
  • Fisioterapia respiratória

Cuidados no período pós-operatório

  • Remover células epiteliais desvitalizadas aliviando a sensação de pele seca, áspera e descamativa
  • Promover hidratação superficial e profunda da pele, associada a reposição do manto hidrolipídico
  • Melhorar o padrão microcirculatório cutâneo com redução do edema intersticial, otimização das trocas metabólicas e atenuação do aspecto de “cútis marmorata”
  • Mobilizar os catabólitos celulares provenientes do trauma cirúrgico e reduzir precocemente as equimoses
  • Coordenar o processo cicatricial e prevenir / tratar fibroses e aderências
  • Estimular a síntese proteica e a consequente retração da pele nas áreas lipoaspirada
  • Fisioterapia respiratória e motora

Dermolipectomias

Cuidados no período pré-operatório

  • Remover excesso de camada córnea e células desvitalizadas promovendo relaxamento da pele da região a ser operada
  • Otimizar o sistema microcirculatório do futuro retalho dermogorduroso garantindo sua viabilidade após descolamento e rompimento dos vasos perfurantes
  • Reduzir o edema dermo-hipodérmico facilitando a manipulação do retalho cirúrgico
  • Fisioterapia respiratória

Cuidados no período pós-operatório

  • Promover a remoção das células epiteliais desvitalizadas, associada a hidratação e reposição do manto hidrolipídico
  • Estimular a microcirculação no retalho dermogorduroso, assegurando sua viabilidade e restauração do estado eutrófico
  • Mobilizar os catabólitos celulares, fluidificar a matriz extracelular e reduzir precocemente as equimoses
  • Potencializar a proliferação celular e coordenar o processo cicatricial, reduzindo a incidência das patologias cicatriciais
  • Realizar o esvaziamento venolinfático reverso dos referidos seguimentos, quando indicado
  • Fisioterapia respiratória e motora

Mamoplastias

Cuidados no período pré-operatório

  • Reduzir a espessura da camada córnea e remover células desvitalizadas, promovendo relaxamento da pele a ser mobilizada
  • Incrementar o fluxo de sangue no sistema microcirculatório, assim como através dos vasos comunicantes, assegurando a viabilidade do retalho dermolipoglandular
  • Mobilizar o edema loco-regional facilitando a manipulação dos retalhos cirúrgicos
  • Fisioterapia respiratória, com relaxamento dos músculos peitorais e intercostais

Cuidados no período pós-operatório

  • Remover células desvitalizadas, hidratação superficial e profunda associadas a reposição do manto hidrolipídico
  • Estimular a microcirculação no retalho dermolipoglandular, com atenção ao complexo aréolo-papilar, assegurando maior viabilidade tecidual
  • Promover a mobilização dos catabólitos celulares e a absorção das equimoses
  • Estimular a proliferação celular e coordenar o processo cicatricial, reduzindo a incidência de deiscências, assim como, das hipertrofias cicatriciais
  • Otimizar o esvaziamento venolinfático das mamas, com atenuação da sobrecarga axilar
  • Fisioterapia respiratória

Prótese de mama

Cuidados no período pré-operatório

  • Reforçar o manto hidrolipídico e a hidratação superficial
  • Melhorar a concentração de glicosaminoglicanos na derme, proporcionando maior hidratação profunda
  • Otimizar o “turnover” celular e, consequentemente, a melhoria da resistência cutânea
  • Reduzir o edema dermolipoglandular
  • Fisioterapia respiratória com relaxamento dos músculos peitorais e intercostais

Cuidados no período pós-operatório

  • Remover células desvitalizadas e incrementar a proliferação celular
  • Hidratação intensa superficial e profunda da pele, associada a reposição do manto hidrolipídico
  • Aumentar a oferta de ATP as mitocôndrias dos fibroblastos que participarão da formação da cápsula, visando a formação de uma cápsula mais saudável
  • Realizar fibrólise da cápsula em formação, proporcionando a geração de cápsula mais relaxada e com menor predisposição a contratura
  • Mobilizar células inflamatórias, catabólitos e o edema intersticial
  • Fisioterapia respiratória

Cirurgias faciais

Cuidados no período pré-operatório

  • Afilar a camada córnea e remover células desvitalizadas a fim de promover o relaxamento da pele a ser mobilizada
  • Incrementar o fluxo de sangue no sistema microcirculatório dérmico, assegurando maior viabilidade aos retalhos faciais
  • Despolimerizar e reduzir o infiltrado intersticial proporcionando maior facilidade de mobilização dos retalhos cutâneos

Cuidados no período pós-operatório

  • Remover células em descamação, hidratação superficial e profunda com reposição do manto hidrolipídico
  • Incrementar o fluxo de sangue através do plexo dérmico assegurando maior viabilidade ao retalho facial
  • Promover a mobilização dos catabólitos e otimizar a absorção das equimoses
  • Estimular a proliferação celular, incrementando a resistência cutânea e a melhor acomodação da pele
  • Realizar o esvaziamento venolinfático reverso da face, com rápida redução do edema e pronta definição do novo contorno facial

Rinoplastia

Cuidados no período pré-operatório

  • Higienizar a pele da região nasal com remoção de comedões, milliuns e sujidades
  • Afilar a camada córnea e remover células desvitalizadas
  • Otimizar o fluxo de sangue no sistema microcirculatório dérmico, assegurando maior viabilidade aos retalhos dermogorduroso, em especial, nas rinoplastias abertas

Cuidados no período pós-operatório

  • Higienizar a pele com remoção do excesso de cola do micropore, sujidades e de células desvitalizadas
  • Controlar a oleosidade, promover hidratação superficial e profunda
  • Incrementar o fluxo de sangue através do plexo dérmico assegurando maior viabilidade ao retalho nasal
  • Realizar o esvaziamento venolinfático otimizando rápida redução do edema e equimoses nasal e palpebral

Pela atual necessidade de pronto restabelecimento dos pacientes, assim como, para o melhor controle dos resultados operatórios, a assistência dermato-funcional apresenta-se como uma prática fundamental associada à cirurgia plástica.

Além de toda assistência prestada pelo cirurgião plástico e pela equipe multidisciplinar, o apoio da família e dos amigos é fundamental durante os períodos de preparação e de recuperação da cirurgia. Sensação de insegurança e medo, no período pré-operatório, como também certo grau de “depressão”, no período pós-operatório, também são relativamente comuns em pacientes cirúrgicas.

Importante lembrar que tanto as alterações fisiológicas, quanto as emocionais, induzidas pela cirurgia plástica, são controláveis e passageiras e que a equipe cirúrgica não medirá esforços para proporcionar ao paciente o maior conforto possível, bem como, uma reabilitação otimizada, visando os melhores resultados.

Conheça nosso especialista
Dr. Ricardo Boggio

CRM/SP 95916 | RQE 30777

  • Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Residência Médica em Cirurgia Geral pela UNESP-Botucatu
  • Residência Médica em Cirurgia Plástica pelo Serviço de Cirurgia Plástica Oswaldo Cruz – SP

Conheça nossas
áreas de atuação!